Sindserv alerta Educação de Mauá que convocar educadores para aulas presenciais sem vacina não é seguro e pede diálogo

Diante do retorno das aulas presenciais, programado para o próximo dia 27, o Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos (Sindserv) de Mauá encaminhou um alerta à Secretaria de Educação sobre os riscos de convocar profissionais da categoria que ainda não estão imunizados contra a Covid-19. A vacinação dos educadores foi dividida em duas etapas e a última será concluída em setembro.

Para o presidente do Sindserv, Jesomar Alves Lobo, a convocação dos profissionais de Educação que ainda não estão imunizados pode ser perigoso para educadores, alunos e suas famílias. “Pontuamos que parte dos profissionais da rede municipal de ensino ainda não se encontra plenamente imunizados e portanto não é seguro convocá-los para retornar às aulas presenciais”, declarou. “O objetivo é preservar a saúde dos trabalhadores e presumimos que prevalecerá o habitual bom senso em defesa da vida e da integridade os servidores e dos munícipes atendidos”, concluiu.

O Sindicato solicitou também que os profissionais que atuam nas escolas sejam ouvidos junto com os diretores do Sindserv antes da definição dos protocolos de segurança sanitária a ser implantado nas escolas. “Solicitamos que os trabalhadores que estão na ponta dos serviços públicos, especialmente professores, auxiliares e merendeiras, sejam ouvidos, afinal são esses quem conhece a verdadeira realidade das escolas municipais”, pontuou Jesomar Lobo.

Os professores e educadores da rede municipal de ensino tem atuado em sistema de aulas remotas sem condições adequadas de trabalho. Além do município não fornecer equipamentos e conexão com a internet para todos os profissionais, o atendimento aos pais de alunos frequentemente ultrapassa a jornada diária de trabalho, sem a devida remuneração de hora extra e adicional noturno.

Vacinação

A vacinação dos profissionais de educação foi divida em duas etapas. Na primeira fase foram imunizados os trabalhadores com idade a partir de 47 anos. Na segunda fase, realizada nos dias 9, 10 e 11 de junho, foi aplicada aos educadores com idade entre 18 e 46 anos a primeira dose do imunizante da Oxford/AstraZenica.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, mantida pela ONU, o intervalo para a segunda dose da Oxford/AstraZenica deve ser de 8 a 12 semanas. Assim, todos os profissionais da rede municipal de ensino estarão imunizados até setembro.

Denúncia

O Sidnserv vai lançar na semana de retorno das aulas um formulário digital para que professores, servidores, alunos e pais de alunos possam relatar casos suspeitos ou confirmados de Covid-19 nas escolas da rede municipal de ensino. O objetivo é reunir dados para monitorar a evolução da pandemia nos ambientes escolares e adotar as medidas cabíveis para proteger a população escolar.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.