Sindserv Mauá reúne GCM’s, que pedem valorização

Valorização, diálogo e transparência é o que pedem os guardas civis municipais (GCM), que se reuniram com o Sindicato dos Servidores Públicos (Sindserv) de Mauá, nesta quinta-feira (9), na sede da entidade. Os trabalhadores também apontaram sugestões para melhorar as políticas públicas de segurança da cidade.

20171109-reuniao-gcm-sindserv-maua-foto-por-lucas-miranda-026 - 964x1286

Guardas se reuniram com o Sindserv e juntos reivindicam valorização e avanços para a categoria. (Foto: Lucas Miranda/Sindserv)

Os guardas fizeram um balanço dos últimos 11 meses da política de Segurança Pública. “Sem colete balístico, sem armamento adequado, sem viaturas e sem motivação não tem como a GCM atuar na cidade”, apontou um guarda (manteremos sigilo dos nomes para não expôr os servidores). “Em eventos oficiais, o prefeito não apresenta os resultados da segurança como apresenta das demais pastas, porque não tem o que mostrar”, lamentou outro guarda.

20171109-reuniao-gcm-sindserv-maua-foto-por-lucas-miranda-024 - 964x1286

Jesomar Alves Lobo, presidente do Sindserv Mauá (Foto: Lucas Miranda/Sindserv)

Para o presidente do Sindserv, Jesomar Alves Lobo, a união entre os guardas é que vai fazer a diferença pela conquistar avanços à categoria. “É assim que começa, mas temos que aumentar o número de guardas presentes nas reuniões para demonstrar toda a insatisfação com o que vem sendo feito”, orientou. “Temos que exigir da Prefeitura que deixe as forças policiais do estado para o governo estadual e invista na Guarda Municipal, que é do município”, defendeu.

Uma nova reunião está agendada para o dia 24/11, às 18h, na sede do Sindicato (Rua Santos Dumont, 507, Vila Bocaina).

Reivindicações

Os guardas municipais defendem a aplicação da Lei nº 13.022, de 08/08/2014, que determina, entre outros pontos, que o comando da GCM deve estar submetido ao prefeito. Dessa forma, a Guarda seria desmembrada da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Civil.

Outro ponto criticado foi o critério para a escolha do comando. Os trabalhadores pedem que o postulante do cargo seja escolhido pelos próprios guardas e referendado pelo prefeito.

Proteção

Há mais de um ano, o Sindserv tem denunciado que a GCM atua nas ruas com coletes balísticos vencidos, sem novos uniformes, sem treinamento permanente e com armamentos e munições obsoletos. O Sindicato solicitou, em agosto deste ano, uma reunião com o secretário de Segurança Pública e Defesa Civil, Paulo Barthasar Júnior, para tratar do assunto e buscar soluções.

 

ATENÇÃO GCM’s

Não deixem de participar da próxima reunião:

dia 24/11, às 18h, na sede do Sindserv

 

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.