Donisete Braga quer criar escola de governo para formar servidores, ampliar política de correção salarial e reduzir a máquina

Em conversa com trabalhadores da Prefeitura de Mauá, na sexta-feira (6), o candidato a prefeito Donisete Braga (PDT) apresentou suas propostas e recebeu do Sindicato dos Servidores e Funcionários Públicos (Sindserv) a carta programática da categoria. O prefeiturável destacou a criação da Escola de Governo para capacitar servidores, chefias e preparar cidadãos para os concurso públicos, além de ampliar a política de correção salarial e reduzir o número de secretarias e cargos comissionados.

Donisete se diz mais experiente para não cometer os erros do passado. “Quero falar para vocês que não só reafirmo meu compromisso, minha relação com o Sindicato, mas sinto-me hoje mais preparado, mais experiente, consigo ter o olhar de onde que errei e onde nós acertamos”, pontuou. “Durante os quatro anos que fui prefeito, sempre tive uma relação muito tranquila com o Jesomar, depois que virei prefeito, no primeiro mês, fiz uma reunião com o Jesomar, tratamos a questão de governo, disse a ele que nunca ia deixar de garantir o mínimo, da questão de relação com os servidores, mas também da questão do aumento e reajuste salarial, então durante todo o período tive respeito e garanti a questão salarial dos servidores”, lembrou.

O candidato reconhece que não conseguiu reformar o Estatuto do Magistério, mas comprometeu-se a avançar nessa questão. “Avançamos na questão do Estatuto da Guarda [Civil Municipal] e foi importante naquele período [2014], mas não conseguimos avançar no Estatuto do Magistério, que é o grande desafio hoje”, admitiu. “Fiz uma conversa preliminar com o Jesomar há uns quatro meses, e ele me dizia que na questão da aprovação do estatuto do magistério não houve uma garantia para todos os educadores, teve a parte dos ADI’s [Auxiliares de Desenvolvimento Infantil] e de alguns servidores, depois conversei bastante com o presidente do Conselho [Municipal de Educação], João Wagner, ele me corrigiu e disse que não, que tinha havido avanços”, relatou. “Mas estou muito desatualizado e quero me atualizar nessa questão para gente avançar”, prometeu.

Donisete também falou sobre gestão e quer explorar novos modelos. “Quero poder voltar à prefeitura, mas para a gente poder imprimir uma outra lógica, uma outra dinâmica, que a gente possa recolocar nossa cidade no patamar que ela merece, hoje é uma cidade que perdeu a autoestima, perdeu o orgulho, perdeu a referência, é uma cidade sem lei”, assinalou. “Não fiz composição com nenhuma secretaria para ninguém, vamos reduzir secretarias, essa máquina que está colocada hoje é inviável, ela não aguenta mais, vamos reduzir cargos comissionados, e estamos inovando, estamos criando a escola de governo, que é para formar os servidores, e a partir daí estabelecer uma nova lógica”, explicou.

O candidato do PDT propôs um novo expediente para alguns setores. “Tem demanda da população para mudar o horário de alguns setores, ao invés de iniciar às 8h vamos iniciar às 10h e estender até as 19h, para atender as pessoas que trabalham fora, tentar ver um abono ou algo específico para [atender] esse horário alternativo”, propôs. “Trabalhar a questão da tecnologia, eliminar papel para que a gente possa otimizar recursos e ao mesmo tempo ter uma máquina mais ágil”, completou.

Por fim, Donisete prometeu ouvir a categoria para administrar a Prefeitura. “Temos uma máquina arcaica, velha, funcionários desmotivados, temos que ver quais os modelos [de gestão] que a gente pode incluir, qual é a visão do Sindicato, qual é a proposta que vocês tem para o próximo governo e a gente tenta buscar um modelo que seja factível de concretizar, a crise [econômica] não pode ser uma desculpa, a crise tem que ser uma alternativa para que a gente possa buscar novos caminhos”, finalizou.

Outros temas abordados no bate-papo com os servidores foram: gestão de postos de saúde por profissionais da saúde, reajuste salarial para funcionários da Fundação do ABC, revisão da política de segurança pública, progressão de carreira na GCM, combate ao assédio moral, aproveitamento de quadros técnicos, transformação do hospital Dr. Radames Nardini em hospital-escola, entre outros.

Leia na íntegra a Carta Programática dos Servidores Públicos de Mauá. Clique aqui.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.