Alaíde eleva a contraproposta e oferece 6% ao funcionalismo

Após negociações com o Sindicato dos Servidores Públicos (Sindserv) de Mauá, a prefeita Alaíde Damo ofereceu 6% de correção nos vencimentos, sendo 4% a partir de 1º de maio e 2% a partir de 1º de novembro. A nova contraproposta do governo municipal foi apresentada nesta segunda-feira (27), em reunião no Paço. Os trabalhadores vão se reunir em assembleia, na próxima quarta-feira (29) para decidir.

20190527_reuniao-final-campanha-salarial-foto-por-lucas-miranda_001 - 1410x793

Após negociação com o Sindserv, administração de Alaíde Damo oferece 6% aos servidores. (Foto: Lucas Miranda/Sindserv Mauá)

Para o presidente do Sindserv, Jesomar Alves Lobo, a melhora da contraproposta se deve às manifestações da categoria junto ao Sindicato e à administração. “Está claro que perceberam a importância do servidor público, nesse período todo de descontinuidade administrativa coube ao funcionalismo manter a máquina em pleno funcionamento”, avaliou. “Estamos desde quinta-feira [23] em visita aos departamentos e equipamentos da Prefeitura, da Câmara Municipal e da Sama para convocar os trabalhadores para a assembleia do dia 29, isso certamente teve sua importância”, argumentou. “Agora cabe aos trabalhadores decidir se aprovam ou rejeitam essa nova contraproposta”, pontuou.

Se aprovada a nova contraproposta da prefeita Alaíde Damo, os vencimentos dos servidores e funcionários públicos serão corrigidos em 6% divididos em duas etapas: 4% a partir do dia 1º de maio e 2% a partir do dia 1º de novembro. Antes era oferecido apenas os 4%. O auxílio alimentação passará de R$ 390 para R$ 410, que representa um aumento de 20 reais. Antes foi proposto correção de 16 reais.

Representaram a gestão na reunião com o Sindicato, os secretários de Governo, Finanças e Justiça, João Veríssimo Fernandes, Valtemir Pereira e Rogério Cavanha Babichak, respectivamente.

Retroativo

Apesar da data-base do funcionalismo mauaense ser em 1º de abril, a administração informou que não há condições financeiras de retroceder o pagamento corrigido até a data-base. Isso significa que a nova contraproposta do governo exige que a categoria aceite o retroativo a partir de 1º de maio em detrimento de manter a correção de 6%.

Pagamento

Dessa forma, se aprovado, os servidores perceberão em junho os vencimentos corrigidos em 4%, inclusive com a diferença referente ao mês de maio. Em novembro, será adicionado 2% referente aos salários-base do mês de abril.

ASSEMBLEIA_CHAMADA2-SITE

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.